work

vida

New work, boys, female empowerment, tragedies and my new dog


Nenhum Comentário
Sem sustos: Está tudo certo!

Olá meus caros leitores,

Sinto muito por ter ficado tanto tempo fora. Minha vida? Ela está bem corrida e nada tão destoante do passado. Aconteceram muitas coisas nesses últimos meses que não me fizeram mudar, mas que provocaram grandes reflexões em minha vida.

São tantos assuntos, tantos acontecimentos, que achei melhor dividir por tópicos tudo que aconteceu. Por isso, vamos lá:

  • New work: Em Janeiro comecei no novo emprego. De início já fui colocada diante de grandes desafios, tais como: arquitetura de sistemas complexos, novas práticas de programação, metodologia nova de desenvolvimento ágil e uma palestra diante de toda a empresa. A experiência foi ótima e está sendo muito enriquecedora, pois percebo que dia-a-dia estou aprendendo algo novo que está acrescentando muito não só em minha carreira profissional mas também em meu autoestima. Pois hoje, sinto que mereço estar ganhando um salário, afinal ralei muito o mês inteiro.
  • Boys: No ano novo passei a virada acompanhada de um rapaz que era vizinho de uma parente minha. Ficamos durante duas semanas e a forma com que nos conhecemos foi um tanto quanto bizarra. Minha parente havia comentado que o vizinho dela estava triste por ter perdido a mãe. Pedi para mostrar a foto dele e disse que havia o achado bonito. Falei brincando sem interesse de conhecê-lo, afinal, não é meu perfil ir atrás de um garoto sem ter uma rede social envolvida (Tinder). Ela acabou abrindo a boca para o rapaz e ele me chamou no WhatsApp, tudo indicava que ele era um cara legal. Mas no fundo no fundo mais uma vez eu me enganei. Ele é igual a maioria dos caras, que só pensa em sexo e depois que almeja seu objetivo muda da água para o vinho. A última frase dita por mim me dirigindo a ele foi: “O cocô da minha cachorra vale mais que você!” Fiquem à vontade para me julgar, mas falei o que meu coração desejou no momento.
  • Female empowerment – Realmente sinto que estou no emprego certo. No dia da mulher, fui convidada para falar da minha trajetória profissional e dos desafios que enfrentei por ser minoria em minha área. O momento foi extraordinário e tive a sensação de que posso me engajar mais na causa, incentivando as meninas a atuarem na área de TI.
  • Tragedies – Particularmente estou bem assustada com 2019. A quantidade de tragédias que tem ocorrido, não só longe do meu cotidiano, mas também muito perto. Esse foi um dos motivos no qual me ausentei do blog. Em janeiro, meu tio sofreu um acidente de moto e ficou dez dias em coma. Ficamos desesperados e pensamos que íamos perdê-lo. Mas através de nossas orações e ótimo atendimento dos hospitais, ele está se recuperando. Em apenas três meses o Brasil tem sido palco de tragédias com muitas mortes e isso me provoca um questionamento sobre o que isso tudo tem a nos ensinar. Como devemos melhorar como pessoas para que possamos ter a certeza de estamos no caminho certo? Infelizmente só nos questionamos a respeito quando sofremos um duro golpe ou quando afeta quem mais amamos. Fica a reflexão a todos nós.
  • My new dog – O nome dela é Lulu. Nada criativo, principalmente por se tratar da raça Lulu da Pomerânia. Resolvi ter um cachorro em Janeiro. Cheguei a conclusão que namoros, tentativas fracassadas de ter algo com alguém só estava me levando ao tédio. Queria mais emoção, queria correr na rua acompanhada de um ser feliz e auto astral, queria ter meus chinelos escondidos pela casa, toalhas sequestradas e mordidinhas nas mãos. E foi exatamente isso que a Lulu me trouxe: alegria e amor que só os cachorros podem dar. Estou bem feliz com ela e se depender de mim, nos próximos dez anos me recusarei a conhecer novos caras, pois me encontro “dedicada à maternidade”.

Ps. 1: Esqueci de contar que em Janeiro ocorreu minha formatura e foi INESQUECÍVEL.

Ps. 2: Pretendo retornar minha assiduidade nos textos e falar sobre os livros que li durante esses meses: “O Fardo” – Agatha Christie, “A Guerra que Salvou Minha Vida” – Kimberly Brubaker Bradley e “Marley e Eu” – John Grogan.

Por enquanto é isso! Kisses!